Publicada em 07/03/2019 às 12h34. Atualizada em 08/03/2019 às 15h13

Ácido fólico: você sabe para que serve?

Conheça a importância dessa vitamina para o seu organismo.

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

Ácido fólico, também conhecido como folato, metilfolato ou vitamina B9, é uma vitamina do complexo B, solúvel em água e presente em diversos itens da dieta diária. O folato ocorre naturalmente nos alimentos, e o ácido fólico é a forma sintética do folato, usada em medicamentos.

O folato é necessário para numerosas funções do corpo. Entre elas: a síntese e reparação do DNA, divisão e crescimento celular, produção de novas proteínas, formação de hemácias, fortalecimento da imunidade. Ele também é importante para a saúde cardiovascular e do sistema nervoso.

Durante o período de gestação, o ácido fólico também é importante. O seu consumo ajuda na formação da placenta, na boa formação do feto e garante a saúde da gestante e do bebê. Há estudos que correlacionam o consumo de ácido fólico à diminuição do risco de pré-eclâmpsia, quando a gestante desenvolve hipertensão. 

Os alimentos ricos em folato são todas as folhas verdes escuras, especialmente espinafre, brócolis, couve, alface e salsa. Os cereais integrais, feijões, cogumelos, vísceras (fígado de galinha), abacate, castanhas, manga, laranja, tomate, melão, banana, ovo, levedo de cerveja e germe de trigo também possuem boas quantidades do nutriente.

Portanto, os alimentos ricos em folato são bem variados. Todos eles devem fazer parte de uma dieta diária equilibrada. Folhas verdes, frutas, leguminosas (feijões, lentilha, ervilha, grão de bico), ovo, carne e vísceras. Não é difícil conseguir um bom aporte da vitamina se o cardápio incluir estes alimentos.

Existe uma lei no Brasil que determina que a farinha de trigo deve ser enriquecida com ferro e ácido fólico. Mas existem outros produtos alimentícios (cereais, bolachas, biscoitos e sucos) enriquecidos com ácido fólico sintético. Uma ou duas porções desses alimentos, por dia, podem contribuir para o aumento da ingestão do ácido fólico.

Cabe destacar a importância do acompanhamento profissional antes de ingerir qualquer suplemento vitamínico, principalmente durante a gestação. Converse sempre com seu médico e procure um nutricionista para prescrição de dieta. 

 Destaque

As deficiências de ácido fólico não são tão raras e afetam frequentemente pessoas que sofrem com o alcoolismo, indivíduos com doença celíaca ou doenças inflamatórias intestinais.

Pessoas com desnutrição e indivíduos que usam medicamentos antiepilépticos ou metotrexato também apresentam um risco maior de desenvolverem deficiência de ácido fólico.

Compartilhe

Saiba Mais

     

    Redes Sociais