Publicada em 10/09/2018 às 11h35. Atualizada em 11/09/2018 às 15h51

Ai, meu ciático!

Você sabe qual é a importância do nervo ciático?

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

Aquela dor estranha na coxa ou no pé podem ser causadas por uma inflamação no nervo ciático. Ele se estende da nádega até abaixo do joelho e é responsável por importantes movimentos, como andar, correr e pular. Como as queixas com relação a problemas no nervo ciático são frequentes, o iSaúde Brasil conversou com o ortopedista Carlos Henrique A. Silva. Confira!

iSaúde Brasil – Muitas pessoas se queixam de dores no corpo em decorrência de inflamações no nervo ciático. Qual é o papel desse nervo para o corpo humano?

Carlos Henrique A. Silva – O nervo ciático é o maior nervo do membro inferior. Seu comprimento se dá desde o nível da nádega até abaixo do joelho, onde irá se dividir em outros nervos. Ele é o responsável pela sensibilidade e movimento dos membros inferiores abaixo da região do joelho, promovendo o controle muscular que nos permite andar, correr e pular, por exemplo.

iSaúde Brasil – Quais são as causas de sua inflamação?

Carlos Henrique A. Silva – O que provoca as dores e o mau funcionamento do nervo ciático, em sua grande maioria, é o processo de compressão do nervo. Essa compressão pode ser extrínseca ao corpo (relacionada às posturas inadequadas, por exemplo) ou intrínseca ao corpo (relacionado às compressões por estruturas do próprio corpo, como por exemplo: hérnia discal, compressão do músculo piriforme, compressão de estruturas pélvicas, entre outras). Existe, ainda, a possibilidade de processo inflamatório inespecífico ou infecções no nervo, sendo estas, porém, doenças incomuns.

iSaúde Brasil – Quais são os sintomas que se manifestam nesse quadro?

Carlos Henrique A. Silva – Os sintomas de uma compressão ou inflamação no nervo ciático são descritos como uma dor que irradia por toda a região posterior da coxa e perna e termina ao nível do tornozelo ou pé. Essa dor pode ser referida como sensação de queimação, choque ou formigamento. Em quadros mais graves, a dor pode vir associada com dormência, redução ou perda de força na perna. 

iSaúde Brasil – Muitas gestantes sofrem com esse problema. Por que isso ocorre?

Carlos Henrique A. Silva – Na gestação, ocorrem mudanças no corpo da mulher que acabam por alterar o seu eixo de sustentação. Essas mudanças, associadas ao aumento abrupto de peso (feto, placenta etc.), podem promover uma compressão sobre o nervo ciático ou suas raízes e provocar dor (ciatalgia).

iSaúde Brasil – Para realizar o diagnóstico, é necessário algum exame em especial?

Carlos Henrique A. Silva – O diagnóstico de ciatalgia (dor no trajeto do nervo ciático) é um diagnóstico clínico, ou seja, realizado apenas com uma avaliação benfeita, por um médico capacitado. A elucidação da causa da dor é que pode ser um desafio e necessitar de vários exames secundários, como radiografia, ultrassonografia, ressonância magnética, eletroneuromiografia, entre outros.

iSaúde Brasil – Como se dá o tratamento para esse problema?

Carlos Henrique A. Silva – O tratamento deve ser direcionado à causa do problema. Pode variar, desde uma simples mudança nos hábitos de vida (como a posição de sentar) a, até mesmo, um tratamento cirúrgico para correção de alguma compressão mais grave. A definição do melhor tratamento a ser instituído cabe ao médico-especialista que acompanha o paciente.

iSaúde Brasil – Como devemos nos prevenir da inflamação no nervo ciático?

Carlos Henrique A. Silva – A prevenção pode ser realizada com bons hábitos de vida, como a prática regular de atividade física e uma boa ergonomia no trabalho e em casa.

iSaúde Brasil – No caso de a pessoa já sofrer com o problema, algum exercício, postura ou cuidado especial pode ajudar o paciente na redução da dor?

Carlos Henrique A. Silva – Neste caso, a melhor conduta é procurar um médico-especialista, que irá determinar o tratamento para resolver a causa do problema. Esse tratamento pode ser feito à base de indicações de postura ergonômica, medicações ou, até mesmo, um tratamento cirúrgico.

Compartilhe

Saiba Mais

     

    Redes Sociais