Publicada em 19/09/2011 às 16h56. Atualizada em 10/10/2012 às 23h01

Deficiências x desafios: Experiências de Sucesso

Dia 21 de setembro, Dia Nacional da Luta das Pessoas com Deficiência.

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

"O físico e matemático Stephen Hawking ganhou o Prêmio Nobel da Física, mesmo tendo uma doença que lhe tirou o controle dos movimentos voluntários do corpo".

Muitas histórias de amor já nasceram embaladas pela canção I just call to say I love you (Eu só liguei para dizer Eu te amo) de Stevie Wonder. Mesmo após sua surdez, Beethoven não deixara sua arte de compor. Ambos com perdas importantes, o primeiro de nascença e o segundo com surdez adquirida, esses ícones da arte trouxeram ao mundo a coragem e a capacidade de vencer “as barreiras da luz e do som” e deixaram definitivamente seus nomes na história.

Foi de um jovem cego, de nome Louis BRAILE, que surgiu a intepretação dos ingênuos pontos criados para leitura noturna na época Napoleônica. Coube a esse jovem de catorze anos o aperfeiçoamento do significado desses pontos e a criação do BRAILE, até hoje utilizado para a leitura de cegos. 

O físico e matemático Stephen Hawking ganhou o Prêmio Nobel da Física, mesmo tendo uma doença que lhe tirou o controle dos movimentos voluntários do corpo, a marcha, a fala, a respiração, a deglutição e algumas outras funções do organismo. Sua existência foi uma constante luta diante das sucessivas perdas. Muito embora sua mente permanecesse intacta, esse pesquisador contou com muitas contribuições da Tecnologia Assistiva para que seu legado pudesse ser deixado ao mundo da física.

Essas e outras experiências ilustram as lutas que muitos tiveram para superar as suas dificuldades que não se constituíram como deficiências. Essas, na maioria das vezes, foram apenas desafios na conquista de seus sonhos. 

Dia Nacional do Portador de Deficiência

Segundo o Censo de 2000, existem 24,6 milhões de deficientes no Brasil. Dentre esses, 19,8 milhões estão domiciliados em áreas urbanas e 4,8 milhões na área rural (IBGE, 2000). Na distribuição das deficiências na população encontram-se 67,68%, visuais; 37,08%, físicas ou motoras (tetraplegia, paraplegia, hemiplegia permanente e falta de membro ou de parte dele); 23,34%, auditivas; e 11,53%, deficiências mentais (IBGE, 2000; Chagas, 2006; Neri et al..., 2003).

Diversos estudos são unânimes em concluir que não há um consenso para a definição de uma população deficiente. Muito embora, ao longo da história da humanidade, diversos povos e culturas tentaram entender a questão da deficiência por diversas lógicas, eles, por sua vez já foram denominados de “inválidos”, incapacitados ou incapazes, defeituosos, deficientes ou excepcionais, pessoas com deficiência, pessoas portadoras de deficiência ou portadores de deficiência, pessoas com necessidades especiais ou portadores de necessidades especiais.
 
A Classificação Internacional de Funcionalidade Incapacidade e Saúde (CIF) traz o conceito de que as “as deficiências são problemas nas funções ou nas estruturas do corpo com um desvio importante ou perda”. “Trata-se de um problema de relações sociais e não simplesmente de condições médica...”, ou seja, resultante da interação entre as condições socioeconômicas, culturais e morais e os aspectos biomédicos que cercam a vida dos deficientes (OMS, 2001; Farias & Buchalla; 2005). A pesquisadora Débora Diniz complementa: a deficiência não deveria ser entendida como um problema individual, mas sim uma questão social.



O Dia Nacional de Luta das Pessoas Portadoras de Deficiências é comemorado desde 1982. Essa comemoração tem como um dos objetivos principais mostrar a importância da luta de todos os portadores de deficiência seja física, mental ou sensorial (cegos e surdos-mudos). Esta luta busca a garantia da acessibilidade, como o direito de ir e vir pelos diversos espaços de forma digna e com segurança; o acesso aos ambientes de arte e lazer sem necessitar sentar-se nas últimas fileiras, o respeito, o exercício da cidadania sem preconceito e discriminação. A luta deste dia é por uma sociedade da inclusão.

Compartilhe
Serviços Gratuitos
  • SerTo - Serviço de Terapia Ocupacional
    Escola Bahiana De Medicina e Saúde Pública
    Tel.: (71) 3276 8200
    Av. Dom João VI, nº 275, Brotas, Salvador, Bahia,CEP: 40290-000
  • Centro Estadual de Prevenção e Reabilitação do Portador de Deficiências - 1ª DIRES
    CAS - Centro de Atenção à Saúde Prof. Dr. José Maria de Magalhães Netto
    Tel.: (71) 3270-5796 / 5849,Rua ACM, s/nº Iguatemi, Salvador, Bahia, CEP: 41.840.000
  • Instituto Bahiano de Reabilitação
    Fundação José Silveira
    Tel.: (71) 3504-5900
    Av. Presidente Vargas, 2947,Ondina,Salvador,Bahia
 

Redes Sociais