Publicada em 29/01/2019 às 15h15. Atualizada em 29/01/2019 às 15h21

Dependência química: como enfrentar essa epidemia?

Após sucesso da música “Fábio Assunção”, o ator global propôs uma reflexão sobre a condição do dependente químico, em declaração nas redes sociais.

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

“Hoje eu vou beber / hoje vou ficar loucão / hoje eu não quero voltar pra minha casa não / Hoje eu vou virar o Fabio Assunção”, diz o refrão da música "Fábio Assunção" da banda La Fúria. A grande repercussão chamou a atenção do ator Fábio Assunção que, em acordo com o compositor Gabriel Bartz, teve a iniciativa de doar a renda dos direitos autorais para entidades de atendimento a dependentes químicos.  Nesta entrevista com o psicólogo Joaquim Moura, o iSaúde Brasil procurou compreender o que é e como tratar a dependência química.

iSaúde Brasil - O que é dependência química e como ela é classificada pela Organização Mundial de Saúde?

Joaquim Moura - A dependência química se caracteriza pelo uso abusivo de drogas que pode causar transtornos físicos, psicológicos, emocionais, financeiros, profissionais etc. A OMS define a dependência química como uma doença crônica; progressiva - ou seja, que piora com o passar do tempo; primária - que gera outras doenças e fatal.

iSaúde Brasil - No Brasil, muitas pessoas enfrentam a dependência química. Quais políticas de redução de danos o SUS dispõe?

Joaquim Moura - Dentro das suas diretrizes, o SUS propõe o um atendimento plural para dependentes químicos na Rede de Atenção à Saúde. Neste programa ele vai além da redução de danos com ações de Promoção de Abstinência, Suporte Social e Promoção da Saúde.

iSaúde Brasil - Quais os fatores biológicos que acarretam em vício por determinadas substâncias?

Joaquim Moura - Alguns indivíduos apresentam mais vulnerabilidade ao vício de drogas do que outros. Pessoas com histórico de dependência química na família estão no grupo de risco.

iSaúde Brasil - Quais as principais drogas que o brasileiro consome? E quais possuem um número maior de dependentes?

Joaquim Moura - Segundo dados do SEBRID/SENAD (2001-2005) a maconha é a droga ilícita mais utilizada, sendo o uso na vida de 8,8% no Brasil. O álcool é utilizado por 54% da população (2012). O numero de dependentes de álcool ou outras drogas no Brasil chega a 5,7%, segundo o Lenad (2013). 

iSaúde Brasil - Como tratar do vício em lactantes? Por que muitos bebês estão nessa situação?

Joaquim Moura - Sabe-se que o uso de álcool e outras drogas faz com que a pessoa modifique seu estado de consciência normal e com isso acabe não se preocupando com o uso de preservativo. Muitas usuárias de álcool e outras drogas acabam engravidando por conta dessa falta de cuidado. Sabe-se que uso de drogas nesse período pode ser um risco para a saúde da mãe e do bebê. O tratamento adequado deve ser avaliado por médico psiquiatra e psicólogo especialista em saúde mental.

iSaúde Brasil - Quais sintomas a abstinência causa e por quê?

Joaquim Moura - A abstinência ocorre quando o dependente se encontra sem o uso da droga de preferencia da qual o organismo já se acostumou com a química. O ato de renuncia a droga pode causar sérios problemas ao organismo dependente, desde alterações comportamentais até sensações físicas, a isso dar-se o nome de Síndrome da Abstinência. Os sintomas podem incluir ansiedade, fadiga, sudorese, vômitos, depressão, convulsões e alucinações.

iSaúde Brasil - Quanto ao consumo de álcool, quando perceber que é realmente alcoolismo?

Joaquim Moura - O uso de álcool pode ser considerado um transtorno quando a pessoa começa a faltar o trabalho por conta do uso; só consegue se divertir em eventos se tiver bebendo; o uso de álcool tem causado acidentes e/ou incidentes; a pessoa diz que consegue parar, mas não para.

"O paciente mais difícil é aquele que não deseja ser tratado. Aquele que nega o uso ou minimiza as consequências." 

iSaúde Brasil - Como tratar o alcoólatra feliz?

Joaquim Moura - O paciente mais difícil é aquele que não deseja ser tratado. Aquele que nega o uso ou minimiza as consequências. Para isso aconselhamos que a família faça uma intervenção, onde ele deva ser convencido dos males que está trazendo a todos e a si, e que o tratamento será a resolução para esse transtorno. Feito isso deve ser encaminhado para uma clínica especializada em dependência química para avaliar a singularidade do caso.

iSaúde Brasil - Quais as barreiras sociais enfrentadas por uma pessoa com esse transtorno?

Joaquim Moura - Infelizmente o transtorno da dependência química não é visto pela população como uma doença. Muitos acham que a pessoa usa a droga por falta de controle e por conta deste pensamento estimula-se um preconceito com as pessoas que precisam de ajuda. 

iSaúde Brasil - Como ajudar alguém com dependência química? Quais órgãos acionar?

Joaquim Moura - A melhor forma de ajudar um dependente químico é encaminhar para um tratamento especializado. A pessoa deve procurar o Caps A/D de seu bairro ou uma clínica especializada em dependência química.

iSaúde Brasil - Dependência tem cura?

Joaquim Moura - A dependência química é um transtorno crônico e progressivo da qual a recuperação só pode ser atingida com o tratamento especializado.

iSaúde Brasil - Se não tratada adequadamente, quais complicações esse problema pode ocasionar?

Joaquim Moura - Além dos problemas financeiros, familiares e profissionais, existem outros transtornos que podem ser estruturados com o uso de álcool e outras drogas, como a ansiedade generalizada, esquizofrenia e depressão. Em muitos casos pode se levar até ao suicídio. Problemas clínicos podem surgir como doenças no fígado, coração, rim...

Compartilhe

Saiba Mais

     

    Redes Sociais