Publicada em 31/10/2018 às 13h54. Atualizada em 31/10/2018 às 15h00

O que você sabe sobre as terapias em grupo?

Saiba mais sobre esta modalidade e veja como ouvir os problemas dos outros pode lhe ajudar a resolver os seus.

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

"No bojo da saúde mental, o dispositivo grupal é significativamente difundido e utilizado na psicoterapia, estando em franca expansão nas últimas décadas".

A condição de vida humana está intrinsecamente vinculada à vida em grupo, pois o homem desde o nascimento até a morte está inserido em grupos sociais. Isto quer dizer que é um ser também social. No processo de civilização, os homens organizaram-se socialmente em diversas atividades. É em grupo que atravessam momentos positivos e negativos de vida. A sociedade, por sua vez, depende do bom funcionamento dos grupos para que seus membros obtenham qualidade psíquica, espiritual, social e material. Portanto, é em grupo que se desenvolvem desde habilidades sociais à resolução de problemas.

Devido a essas características, vários autores têm se interessado por estudar grupos e inclusive a influência destes sobre o ajustamento individual e constituição do psíquico. Assim, já está esclarecida na literatura a influência que o grupo exerce sobre o comportamento individual, bem como contam orientações sobre como os grupos podem obter de seus membros comportamentos e mudanças desejáveis, sendo recomendações empregadas com sucesso em ambientes como escolas e organizações. No bojo da saúde mental, o dispositivo grupal é significativamente difundido e utilizado na psicoterapia, estando em franca expansão nas últimas décadas.



A terapia de grupo surgiu no século passado em 1905, sendo a sua expansão marcada por diferentes décadas. A fase de progresso teórico ocorreu nos anos 1950 e 1960, a fase de consolidação nos anos 1970 e de amadurecimento nos anos 80 e 90. Atualmente ocorre a expansão crescente, com a emergência de novos modelos, desenvolvimento de técnicas para terapias de grupo direcionadas para populações específicas de pacientes com uma variedade de condições médicas e psicossociais, o que denota a canalização crescente para uma maior especificidade na sua aplicação.

"Na psicoterapia de grupo a relação terapêutica se estende para além do vínculo terapeuta-paciente e ocorre entre os próprios pacientes".



Na psicoterapia de grupo a relação terapêutica se estende para além do vínculo terapeuta-paciente e ocorre entre os próprios pacientes.  Além da intervenção conduzida pelo terapeuta, o próprio grupo em meio às interações favorece a promoção de mudanças. Além disso, a psicoterapia de grupo possibilita um espaço de trocas entre os pacientes. Facilita a identificação entre os membros por sofrerem de uma mesma condição, a revelação de particularidades, apoio e resolução de problemas e desafios. 


"O psicoterapeuta tem um papel definido dentro de um grupo. Ele possui habilidades específicas, como desenvolver a interação e fortalecer a ligação emocional entre os participantes".

O psicoterapeuta tem um papel definido dentro de um grupo. Ele possui habilidades específicas, como desenvolver a interação e fortalecer a ligação emocional entre os participantes, envolvendo-os pelo diálogo, explorando assuntos comuns, revelando semelhanças e diferenças, atuando como agentes terapêuticos. 

Já os participantes, ao desempenharem seu papel de contribuintes, tornam o grupo mais eficiente à medida que expressam em palavras suas experiências e sentimento íntimos. Observou-se que pacientes que são mais participativos e abertos ao diálogo podem absorver as experiências geradas pelas intervenções terapêuticas se beneficiando da psicoterapia.

Nesse contexto, sobressaíram os grupos de apoio e de curta duração, sendo uma das modalidades terapêuticas mais difundidas, sobretudo em instituições. Estes grupos psicoterapêuticos têm como características a determinação de objetivos específicos, relativa homogeneidade entre os pacientes, seja por diagnósticos ou condições interpessoais similares, postura mais ativa do coordenador, por meio de sugestões e de apoio. 

Compartilhe
Serviços Gratuitos
  • CIEG - Centro Interdisciplinar de Estudos Grupais Enrique Pichon-Rivière
    Tel.:(71) 3245-4034
    Rua Barão do Triunfo, 89, Rio Vermelho, Salvador,Bahia,CEP 41950-880
  • SEPSI - Serviço de Psicologia
    Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
    Tel.: (71)3276-8259
    Av. Dom João VI, nº 275, Brotas, Salvador, Bahia CEP: 40290-000
  • Serviço de Psicologia da Universidade Federal da Bahia
    Faculdade de Ciências Humanas
    Tel: (71) 3283-6437 / 3247-2978
    Estrada de São Lázaro, Federação, Salvador, Bahia



 

Redes Sociais