Publicada em 08/10/2012 às 00h00. Atualizada em 08/10/2012 às 15h58

Escola proíbe que alunos usem pulseira em tributo a colega morto

Harris chegou a ser mandado para casa por se recusar a tirar a pulseira.

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

Os diretores de uma escola no Reino Unido proibiram os alunos de usarem pulseiras em homenagem a um colega que morreu de câncer. O motivo: elas não fazem parte do uniforme da instituição. Um dos melhores amigos do menino chegou a ser enviado para casa por se recusar a tirar o acessório. As informações são do site do The Sun.

Os colegas de Jordan Cobby, 14 anos, criaram um tributo depois que o menino perdeu a luta contra um câncer no olho, em março do ano passado. Os braceletes azuis - com as inscrições "Jordan Cobby, R.I.Paradise, Forever 14" ("Jordan Cobby, descanse no paraíso, para sempre 14") - foram vendidas na escola por um euro cada, e o dinheiro foi revertido para uma entidade voltada ao câncer na adolescência, a Teenage Cancer Trust.

Na segunda-feira, contudo, funcionários da Nuneaton Academy em Warwickshire, onde Jordan era aluno, proibiram as pulseiras e até mandaram um dos melhores amigos do garoto, Harris, para casa quando ele se recusou a tirá-la. A mãe de Harris, Zoe Ashby, disse que a equipe da instituição proibiu o adereço porque ele não é parte do uniforme escolar.

Zoe diz ter ficado surpresa quando a escola telefonou para dizer que o filho estava sendo mandado para casa. "Eu acho que eles não compreenderam o quanto a morte do Jordan afetou as crianças. As pulseiras têm valor sentimental e significam muito para esses jovens", diz. "Eu pedi à escola algo por escrito sobre o porquê de Harris ter sido expulso, e tudo o que eles disseram é que ele não estava usando o uniforme correto", conta Zoe, que se diz orgulhosa do filho por ele ter se recusado a tirar a pulseira, uma vez que não se trata de um acessório "de moda", mas de uma homenagem.

Cerca de 400 pais indignados assinaram uma petição on-line exigindo que a Nuneaton Academy permita que os estudantes usam as pulseiras. "É como se a escola estivesse tentando apagar a memória de Jordan", disse um pai. "As pulseiras são uma celebração de sua vida tanto quanto qualquer coisa, mas a escola diz, basicamente, que é hora de os estudantes esquecerem que Jordan existiu", complementa.

Os diretores da escola dizem que vão pagar por uma capa para os organizadores diários dos alunos que vai contar com uma montagem em homenagem a Jordan feita pelos estudantes. "É ótimo oferecer esse tipo de coisa, mas ela não tem o mesmo significado da pulseira", diz Zoe.

A mãe de Jordan, Joanne Meuse, disse que a escola estava feliz que as crianças usassem as pulseiras pelos últimos 18 meses. "Meu filho era um aluno da instituição, e foi - e ainda é - um amigo muito amado e valorizado desses estudantes", declara. "Quando ele morreu, eu e minha família encontramos muito conforto nos pensamentos e ações destes jovens. Eles mostraram grande compaixão e maturidade. Eles dão crédito à Nuneaton Academy. As pulseiras não afetam seu aprendizado, mas é uma forma de mostrar respeito e manter uma parte de Jordan com eles", complementa.

Joanne conta que um dos amigos de Jordan lhe disse: "eu escrevo com minha mão direita e minha pulseira está no lado direito. Quando estou passando por um momento difícil, olho para ela e lembro que Jordan foi um bravo herói e de tudo que ele passou".

Jordan desenvolveu um tumor maligno do tamanho de uma bola de golfe atrás do olho direito, em agosto de 2008. Ele perdeu a batalha contra o câncer em março do ano passado.

Segundo o The Sun, a escola não fez nenhum comentário sobre o caso.

Fonte: Terra

Compartilhe

Saiba Mais

     

    Redes Sociais