Publicada em 31/01/2018 às 12h12. Atualizada em 31/01/2018 às 12h27

Já ouviu falar em visão dupla?

A diplopia, como é chamada a visão dupla, pode ter várias causas. Confira a entrevista.

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

Para saber as causas e como tratar a visão dupla, o iSaúde Bahia conversou com a médica Nayana Braga. Entre as fontes geradoras do problema, ela aponta afecções oculares, alterações metabólicas, vasculares e neurológicas. 

iSaúde – O que é diplopia?

Nayana Braga – A diplopia é um sintoma de visão dupla. No caso, nosso cérebro vê um objeto e forma uma imagem duplicada. Vemos um mesmo objeto "duas vezes".

iS – Qual é a diferença entre a diplopia monocular e a binocular?

Nayana Braga – A diplopia monocular ocorre quando apenas um dos olhos está aberto e desaparece quando os dois olhos estão abertos. Já a diplopia binocular ocorre quando os dois olhos estão abertos e há visão de imagem dupla e desaparece quando um deles é ocluído, ou seja, fechado. 

iS – O que causa esse problema?

Nayana Braga – Várias podem ser as causas de diplopia. Diplopia não é uma doença, mas, sim, um sintoma, que pode sinalizar desde doenças benignas a doenças mais graves. Como exemplos, temos:

- afecções oculares: ametropias (miopia, astigmatismo, hipermetropia), catarata, ceratocone e estrabismo, que são desvio oculares causados por alteração no alinhamento da musculatura extrínseca dos olhos ou alterações na inervação da musculatura ocular externa, levando o indivíduo ao enfraquecimento da musculatura e, consequentemente, ao desalinhamento ocular; 

- alterações metabólicas, como a doença de Graves, que ocorre por miastenia Graves, diabetes ou disfunção tireoidiana, levando o paciente a uma condição ocular que chamamos de orbitopatia de Graves, na qual o olho fica "para fora" – exoftálmico; 

- alterações vasculares, como a encefalopatia hipertensiva, aneurismas e o AVC; 

- alterações neurológicas, como tumores cerebrais, traumatismos cranianos, abcessos ou infecções do sistema nervoso central, além de esclerose múltipla, Síndrome de Guillain-Barré, dentre outras.

iS – Existe tratamento?

Nayana Braga – Existe tratamento para os sintomas de diplopia, paliativos, mas o tratamento definitivo da diplopia se dá pelos cuidados com a doença que causou o sintoma de diplopia.  Algumas causas de diplopia possuem tratamento e outras, apenas o controle. 

iS – É verdade que consumir álcool ou drogas pode causar a visão dupla?

Nayana Braga – Sim. O consumo excessivo de álcool ou drogas (inclusive de alguns medicamentos controlados) pode levar à diplopia, devido a uma intoxicação aguda, ou ao consumo prolongado, podendo levar à neurite óptica desmielinizante. 

iS – A diplopia pode ser sintoma de algo mais grave, como lesões ou tumores cerebrais? Como diferenciar a causa do problema?

Nayana Braga – Sim, a diplopia pode ser um sintoma de alerta de doenças tumorais, com processos expansivos intracranianos, ou um dos primeiros sintomas do AVC e, portanto, fazer toda a diferença quando você reconhece o sintoma, tanto no diagnóstico como no prognóstico e tratamento do paciente. 

É muito importante que, logo quando identificado o sintoma de diplopia, se busque ajuda médica. No caso de sintomas de diplopia de início recente, levar o paciente na urgência para avaliação médica e realização de exames para diferenciar as causas de maior urgência daquelas que podem ser tratadas ambulatorialmente. Se for uma diplopia antiga, levá-lo, de preferência, ao neurologista ou oftalmologista para melhor avaliação diagnóstica e tratamento.

Compartilhe

Saiba Mais

     

    Redes Sociais