Publicada em 23/01/2019 às 14h44.

Noite mal dormida?

O iSaúde Brasil conversou com a médica otorrinolaringologista e especialista em sono, Dra. Cristina Salles que nos deu algumas dicas de como combater a insônia. Confira!

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

O iSaúde Bahia quer lhe ajudar a dormir melhor. Para isso, pedimos algumas dicas à médica especialista em sono, Dra. Cristina Salles. Segundo a médica, assistir televisão, ler, estudar, comer ou ainda atividades mentais como pensar nas contas a serem pagas podem interferir diretamente na qualidade do sono. 

iSaúde Bahia - Quantas horas diárias são necessárias para uma boa noite de sono?

Dra. Cristina Salles - Conforme a idade vai aumentando, a necessidade  de horas de sono diminui. Crianças de 1-5 anos necessitam de 10 a 14 horas de sono, dos 6-13 anos, de 9 a 11 horas; de 14-17 anos reduz para 8 a 9 horas por noite. Nos adultos de 18 a 64 anos, observa-se a necessidade de 7 a 9 horas.

iSB - Quais os principais fatores que podem contribuir para uma noite mal dormida?

Dra. Cristina Salles - Não estabelecer horário para dormir e levantar-se.

Fazer uso de álcool, tabaco ou cafeína antes de deitar-se.

Realizar atividade física próxima à hora de deitar-se.

Permitir situações que desestabilizem o emocional próximo à hora de deitar.

Permitir que na cama sejam realizadas atividades como assistir à televisão, ler, estudar, comer ou ainda atividades mentais como pensar nas contas a serem pagas ou que não foram pagas, planejar alguma tarefa para o outro dia.

Quando a cama disponível para dormir é desconfortável, assim como colchão, travesseiro ou cobertor. 

Não ter cuidados com o quarto de dormir quanto à iluminação, ventilação, ruído etc.

Realizar atividades que exijam alto nível de concentração antes de deitar-se.

iSB - Quais as precauções que os indivíduos devem tomar para a insônia?

Dra. Cristina Salles - Quem tem queixa de insônia deve procurar o médico e, uma vez que a insônia é um sintoma, precisamos investigar o que está associado a ela. Sabe-se que de 10 – 40% da população sofre de insônia. 

iSB - Quais são os transtornos do sono?

Dra. Cristina Salles - Segundo a Academia Americana de Medicina do Sono, em 2005, foram listados mais de 90 transtornos do sono. Essa classificação baseia-se em oito categorias: insônia, sonolência excessiva diurna, incapacidade de dormir no momento desejado e eventos anormais durante o sono. Estima-se que mais da metade da população tenha algum transtorno do sono e que 32% dos adultos possuam a Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono. Essa síndrome de alta prevalência, apresenta-se como fator de risco para doenças cardiovasculares, principalmente a hipertensão arterial sistêmica, acidente vascular encefálico.

iSB - Qual a importância do sono para a saúde do indivíduo?

Dra. Cristina Salles - O sono é responsável pela função restaurativa: capacidade de fazer com que o organismo seja capaz de se recuperar de um dia de trabalho; capacidade de consolidação da memória e aprendizado: todo e qualquer conhecimento que recebemos ao longo do dia através do estudo, trabalho, vida social, é consolidada durante o sono; repouso para o organismo: redução da pressão arterial, batimentos cardíacos, atividade muscular, entre outros.

iSB - Temos aquele velho ditado que diz: “uma noite mal dormida ou sono perdido jamais será recuperado”. É verdade?

Dra. Cristina Salles - Realmente, uma noite de sono perdida jamais será recuperada, no entanto, a melhor maneira de tentar compensar essas horas em débito é dormir uma ou duas horas a mais por noite. Para os indivíduos que apresentam privação crônica do sono, orienta-se diminuir o ritmo por alguns meses para tentar um padrão de sono original.

iSB - Insônia tem tratamento?

Dra. Cristina Salles - Necessita-se de mudança nos hábitos de sono, investigar e tratar os fatores desencadeantes da insônia. Essas medidas podem restaurar o padrão de sono saudável. Se essas medidas não apresentarem o resultado esperado, o médico pode pensar na possibilidade da terapia cognitiva comportamental e no uso de medicamentos para restabelecer a qualidade do sono.

Palavras Chave:

insônia sono otorrino
Compartilhe

Saiba Mais

    Principais fatores que podem contribuir para uma noite mal dormida

    • Não estabelecer horário para dormir e levantar-se. • Fazer uso de álcool, tabaco ou cafeína antes de deitar-se. • Realizar atividade física próxima à hora de deitar-se. • Permitir situações que desestabilizem o emocional próximo à hora de deitar. • Permitir que na cama sejam realizadas atividades como assistir à televisão, ler, estudar, comer ou ainda atividades mentais como pensar nas contas a serem pagas ou que não foram pagas, planejar alguma tarefa para o outro dia. • Quando a cama disponível para dormir é desconfortável, assim como colchão, travesseiro ou cobertor. • Não ter cuidados com o quarto de dormir quanto à iluminação, ventilação, ruído etc. • Realizar atividades que exijam alto nível de concentração antes de deitar-se.

     

    Redes Sociais