Publicada em 22/10/2018 às 15h46. Atualizada em 22/10/2018 às 16h03

Transtorno do Estresse Pós-Traumático: mais comum do que se imagina

Entre 15% e 20% das vítimas de violência desenvolvem o transtorno. Entenda o TEPT e os principais problemas que ele acarreta.

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

Com o aumento do número de episódios de violência urbana no Brasil, o iSaúde procurou saber mais sobre o Transtorno do Estresse Pós-Traumático (TEPT). Conversamos com a psicóloga Ticiana Barbosa Rangel, que apontou alguns problemas que os pacientes com TEPT apresentam em conjunto com a doença. 

iSaúde Brasil – Como podemos definir o Transtorno do Estresse Pós-Traumático?

Ticiana Barbosa Rangel – O Transtorno do Estresse Pós-Traumático (TEPT) é um distúrbio da ansiedade caracterizado por um conjunto de sinais e sintomas físicos, psíquicos e emocionais em decorrência de o paciente ter sido vítima ou testemunha de atos violentos ou de situações traumáticas que, em geral, representaram ameaça à sua vida ou à vida de terceiros. Quando se recorda do fato, ele revive o episódio, como se estivesse ocorrendo naquele momento e com a mesma sensação de dor e sofrimento que o agente estressor provocou. Essa recordação, conhecida como revivescência, desencadeia alterações neurofisiológicas e mentais.

iSaúde Brasil – Muitas pessoas sofrem com esse problema? Qual é a incidência?

Ticiana Barbosa Rangel – Entre 15% e 20%, aproximadamente, das pessoas que, de alguma forma, estiveram envolvidas em casos de violência urbana, agressão física, abuso sexual, terrorismo, tortura, assalto, sequestro, acidentes, guerra, catástrofes naturais ou provocadas, desenvolvem esse tipo de transtorno. 

iSaúde Brasil – Muitos apontam o problema da segurança pública no Brasil como algo que já está generalizado. Você percebe um aumento no número de casos?

Ticiana Barbosa Rangel – O aumento da violência no Brasil acaba gerando uma maior comoção social e, com isso, um aumento da ansiedade na população em geral, sendo a mesma exposta a situações de risco, ocasionando, assim, um possível aumento de casos de TEPT.

iSaúde Brasil – Quais são os principais sintomas do TEPT?

Ticiana Barbosa Rangel – Os sintomas do Transtorno do Estresse Pós-Traumático se dividem em categorias principais compreendidas em: 

Reexperiência traumática: pesadelos e lembranças espontâneas, involuntárias e recorrentes (flashbacks) do evento traumático-revivescência; 

Fuga e esquiva: afastar-se de qualquer estímulo que possa desencadear o ciclo das lembranças traumáticas, como situações, contatos ou atividades que possam se ligar às lembranças traumáticas; 

Distanciamento emocional: diminuição do interesse afetivo por atividades, pessoas, que anteriormente eram prazerosas, diminuição de afetividade; Hiperexcitabilidade psíquica: reações de fuga exageradas, episódios de pânico (coração acelerado, transpiração, calor, medo de morrer...), distúrbios do sono, dificuldade de concentração, irritabilidade, hipervigilância (estado de alerta);

 Sentimentos negativos: sentimento de impotência e incapacidade em se proteger do perigo, perda de esperança em relação ao futuro, sensação de vazio.

iSaúde Brasil – Uma vítima de um episódio violento, como um assalto ou sequestro, pode apresentar sintomas dentro de quanto tempo após o fato? 

Ticiana Barbosa Rangel – Cada pessoa tem a sua própria forma de reagir a situações de risco de vida ou experiências inesperadas. Um determinado indivíduo que passa por uma situação traumática pode sentir medo e ficar impressionado, enquanto outra pessoa, que passa pela mesma experiência, pode sentir-se chocada e agradecida por estar viva; portanto, as reações podem variar muito de pessoa para pessoa. Alguns indivíduos podem apresentar sintomas após 30 dias, algumas vezes, até 1 ano da data do evento traumático, desde que esse tenha levado ao risco de vida ou à integridade física do paciente ou de alguém próximo. O paciente receberá o diagnóstico de Transtorno do Estresse Pós-Traumático (TEPT), caso apresente sintomas classificados em 3 grupos: revivência, evitação e hipervigilância.

iSaúde Brasil – Uma pessoa pode apresentar o transtorno apenas uma ou poucas vezes, ou seja, de forma aguda?

Ticiana Barbosa Rangel – Alguns indivíduos, mesmo nesse período inicial, podem manifestar sintomas mais intensos e disfuncionais, apresentando quadros dissociativos, com alterações qualitativas da consciência, não sabendo, muitas vezes, onde estão ou até quem são (alterações da consciência auto e alopsíquica), com queixas, como: se sentir distante, frio, ainda com imagens do trauma vindo repetidamente à sua mente, contrárias à sua vontade. Apresentam medo de serem novamente vitimizados, esquivando-se de várias situações. Se esses sintomas se apresentam até 30 dias do evento traumático, esse indivíduo recebe o diagnóstico de Transtorno de Estresse Agudo (TEA).

iSaúde Brasil – Pessoas que sofrem com TEPT podem apresentar problemas com a memória?

"O TEPT é considerado por muitos estudiosos um transtorno da memória, já que ocorre, no paciente, uma falha na codificação das informações referentes ao evento traumático..."

Ticiana Barbosa Rangel – O TEPT é considerado por muitos estudiosos um transtorno da memória, já que ocorre, no paciente, uma falha na codificação das informações referentes ao evento traumático, podendo estar associado a três fatores: ao processamento seletivo do conteúdo do evento traumático; à generalização dos estímulos explícitos e implícitos da memória traumática; à dificuldade para o esquecimento direto do conteúdo traumático da memória; e a problemas na recuperação das memórias autobiográficas.

iSaúde Brasil – O TEPT pode acarretar outros problemas para a saúde física e mental do indivíduo?

Ticiana Barbosa Rangel – O TEPT é um transtorno que traz inúmeras mudanças para a vida de suas vítimas, que acabam constantemente revivendo a situação traumática e apresentando reações extremas de ansiedade como se o evento estivesse continuamente ocorrendo. São visíveis as implicações do TEPT para a saúde e o bem-estar social dos indivíduos. Do ponto de vista psicológico, alterações de humor, irritabilidade e agressividade podem ser sintomas desencadeados pelo transtorno assim como alterações no sono (e em funções cognitivas, uso de substâncias psicoativas entre outras. 

iSaúde Brasil – Como funciona o tratamento?

Ticiana Barbosa Rangel – Para o tratamento do TEPT, é aconselhado um acompanhamento multidimensional, na qual a famarcoterapia tem o seu papel na redução dos sintomas. No entanto, para melhores resultados, esse tem que ser acompanhado por uma psicoterapia em particular: a Terapia Cognitivo-Comportamental.

Compartilhe

Saiba Mais

     

    Redes Sociais