Publicada em 23/01/2012 às 23h00. Atualizada em 07/02/2012 às 10h49

Você sabe quais são as principais causas da hipertensão?

A Liga Acadêmica de Emergências Clínicas esclarece dúvidas sobre a hipertensão arterial sistêmica, uma das principais doenças crônicas que atinge brasileiros

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

Hipertensão arterial é a elevação da pressão arterial acima de 140x90 mmHg ou 14x9 em adultos com mais de 18 anos, medida em repouso de, no mínimo, quinze minutos e confirmada em três medições, durante várias visitas médicas. 

Classificação:

Normotensos: pressões menores ou igual a 120/80 mmHg
Pré-hipertensos: Pressões entre 121/81 - 139/89 mmHg
Hipertensos grau I : Pressões entre 140/90 - 159/99 mmHg
Hipertensos grau II: Pressões maiores ou iguais a 160/100 mmHg



Os principais fatores de risco para hipertensão arterial são:

- Raça negra
- Obesidade
- Elevado consumo de sal 
- Consumo de álcool 
- Sedentarismo
- Colesterol alto
- Apnéia obstrutiva do sono
- Tabagismo

Uma vez feito o diagnóstico, os portadores de HAS devem promover mudanças no estilo de vida, tais como:

- Reduzir o peso
- Iniciar exercícios físicos
- Abandonar o cigarro
- Reduzir a ingestão de álcool
- Reduzir o consumo de sal
- Reduzir o consumo de gordura saturada 
- Aumentar a ingestão de frutas e vegetais

A hipertensão arterial é considerada uma doença silenciosa, pois, na maioria dos casos, não são observados quaisquer sintomas no paciente. Quando estes ocorrem, são vagos e comuns a outras doenças, tais como dor de cabeça, tonturas, cansaço, enjoos, falta de ar e sangramentos nasais. Essa falta de sintomas pode fazer com que o paciente esqueça de tomar o seu medicamento ou até mesmo questione a sua necessidade, o que leva a grande número de complicações.
    
A hipertensão arterial sistêmica é uma doença crônica que, quando não tratada e controlada adequadamente, pode levar a complicações que podem atingir outros órgãos. 

A hipertensão arterial está associada a uma série de outras doenças, tais como:

- Insuficiência cardíaca 
- Infarto do miocárdio 
- Arritmias cardíacas 
- Morte súbita
- Aneurismas 
- Perda da visão (retinopatia hipertensiva)
- Insuficiência renal 
- AVC isquêmico e hemorrágico (derrame) 

O indivíduo portador de hipertensão arterial grave ou prolongada e não tratada, pode apresentar, sintomas como dor de cabeça, fadiga, enjoos, vômito, falta de ar, agitação e visão borrada em decorrência de lesões que afetam o cérebro, os olhos, o coração e os rins. Ocasionalmente, os indivíduos com hipertensão arterial grave são acometidos de sonolência ou mesmo coma. Esse distúrbio, chamado de encefalopatia hipertensiva, requer um tratamento de emergência.

Crise Hipertensiva ou Hipertensão Maligna

A hipertensão maligna é uma emergência médica e ocorre quando há um aumento súbito dos níveis tensionais, causando lesão aguda de órgãos nobres como rins, coração, cérebro e olhos. A hipertensão maligna normalmente se apresenta com valores de pressão acima de 220 por 120 mmHg.

A crise hipertensiva inicia-se repentinamente e a pessoa pode apresentar: 

- Sensação de mal-estar
- Ansiedade e agitação
-Dor de cabeça severa
- Tontura
- Borramento da visão
- Dor no peito
- Tosse e falta de ar

A crise é acompanhada de sinais e sintomas em outros órgãos:

- Em função da lesão renal, há presença de sangue e proteínas na urina.
-Alterações cardíacas podem causar falta de ar, dor no peito, angina, infarto e arritmias.
- No sistema nervoso, acidente vascular cerebral (AVC), convulsões, dificuldade da fala e da movimentação.
- Na visão, borramento e hemorragias.

Os níveis de pressão arterial devem ser imediatamente diminuídos com medicações especiais orais e intravenosas, usadas pelos médicos, sob controle rigoroso, em unidades de tratamento intensivo. Ou seja: em casos de emergências hipertensivas, procure um médico: a depender da situação, o medicamento que você toma usualmente pode não ser o tratamento mais adequado para situação. Dessa forma, você pode evitar maiores complicações para sua saúde.

Compartilhe
Serviços Gratuitos
  • Ambulatório Docente-Assistencial da Bahiana - ADAB
    Tel.: (71) 3276 8200
    Av. D. João VI, 275, Brotas, Salvador, Bahia, CEP. 40.290-000
  • Hospital Universitário Prof. Edgard Santos - HUPES
    Tel.:(71) 3283 8000 Rua Augusto Viana S/N, Canela, Salvador, Bahia, CEP. 40.110-060

 

Redes Sociais