Publicada em 05/03/2012 às 00h00.

Cuidados para evitar a desidratação

Dr.ª Tânia Regis explica como ocorrem os sintomas da desidratação, de que forma evitar e como tratá-la.

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

"Nestes tempos de aquecimento global, com as altas temperaturas, há um sério risco de desidratação para aqueles que não observam certos cuidados...".

A desidratação, como o próprio nome  indica, é a diminuição de água e eletrólitos do organismo, um quadro particularmente preocupante em crianças e idosos. 
Pode ser desencadeada por diarreias, vômitos, febre, taquipnéia (aumento da frequência respiratória) e sudorese excessiva. Nesses casos, ocorrem  perdas extras de líquido e eletrólitos do organismo e, se não  houver uma reposição adequada,  a desidratação se instala.

Nestes tempos de aquecimento global, com as altas temperaturas, há um sério risco de desidratação para aqueles que não observam certos cuidados, tais como: não se exercitar nos horários mais quentes do dia, principalmente  a prática de esportes ao ar livre que deve ser evitada das 10h às 16h. O uso de roupas leves e de preferência tecidos de algodão que permitam a transpiração, e proteção do sol com chapéus e sombreiros também são alguns dos cuidados que devem ser adotados.

As crianças devem ter cuidados especiais quanto à ingestão regular de líquidos com eletrólitos como água de coco, suco de frutas , assim como o consumo de alimentos leves e ricos em água como frutas e verduras , principalmente as nossas frutas tropicais da época como a melancia, o melão, a laranja e o abacaxi.

O cuidado com a  higiene e conservação dos alimentos deve ser redobrado para se evitar as gastroenterites tão comuns, principalmente durante o verão. Evitar o consumo de alimentos de conservação duvidosa e expostos ao sol. Uma atenção especial  deve ser dispensada às conservas e laticínios que ficam expostos a temperatura ambiente  sem que se leve rapidamente  de volta para a refrigeração. Alimentos que se deterioram muito facilmente como frutos do mar, só devem ser consumidos quando se tem conhecimento da sua origem, e da conservação sob refrigeração. Todos esses cuidados  devem ser tomados para se evitar as diarreias e com elas  o risco da desidratação.

Uma  vez  instalado o quadro de diarreia,  deve-se  procurar hidratar o paciente  com água, chás, sucos e, principalmente, água de coco. O uso do soro caseiro e  soluções de reidratação oral  têm sido de grande utilidade, salvando a vidas de crianças,  quando iniciada  a sua oferta  aos primeiros sinais de diarreia. 

Nos casos de vômitos, quando a hidratação oral está dificultada, deve-se procurar imediatamente um serviço de emergência para uso de medicação injetável, para cessar os vômitos e assim poder hidratar adequadamente o paciente. Nos casos onde a desidratação já se encontra  em uma fase avançada,  é aconselhável que a reposição de líquido seja feita de forma mais rápida e por via parenteral (venosa).

Nos idosos,  a desidratação é uma das principais causas da insuficiência renal aguda e  pré-renal por diminuição do volume de  líquido do organismo, portanto, diarreia em idosos é sempre uma causa de alarme, uma vez que a insuficiência renal pode ocasionar o óbito.

Os idosos devem ficar em ambientes frescos e ventilados nos dias de calor e a oferta de líquido por parte dos cuidadores deve ser redobrada.

Vale a pena lembrar  que a composição do soro caseiro é um copo de água limpa (filtrada ou fervida) adicionado de uma colher das de chá rasa de sal e outra de açúcar  e deve ser oferecido sempre que o paciente apresentar evacuações. Os soros de reidratação oral são distribuídos gratuitamente nos postos de saúde.


Os principais sinais de desidratação  para os quais  devemos estar atentos são:
•   Sede
•   Queda abrupta de peso
•   Pele seca  com elasticidade e turgor diminuídos
•   Mucosas secas 
•   Olhos afundados 
•   Fontanelas deprimidas no caso de crianças 
 •  Excitação psíquica ou abatimento, confusão mental (principalmente em idosos)  e diminuição do volume urinário.

Compartilhe

Saiba Mais

    Serviços Gratuitos
    • Distrito Sanitário Centro Histórico
      2º C.S. Ramiro de Azevedo Largo do Campo da Pólvora, 08, Nazaré
      CAE Centro – C.S. Carlos Gomes Rua Carlos Gomes, 63/66, Centro
    • Distrito Sanitário De Brotas
      C.S. Cardeal da Silva Rua Direita de Cosme de Farias, s/n, Cosme de Farias
      C.S. Manoel Vitorino Av. Dom João VI, nº.450, Brotas
    • Distrito Sanitário Barra - Rio Vermelho
      5º C.S. Clementino Fraga Av. Centenário, s/n, Centenário
      9º C.S. Sabino Silva Rua Reinaldo de Matos, s/n, Nordeste
     

    Redes Sociais